Burocracia para novos projetos – Confies

Fernando Peregrino, vice-presidente do Confies. (Foto: Reprodução-Coppe/UFRJ).

Foi encaminhao para Controladoria Geral da União (CGU), à Advocacia Geral da União (AGU) e aos ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a proposta que quer simplificar e racionalizar os parâmetros de fiscalização da atividade de pesquisa, ela foi encaminhada pelo conselho representante das fundações de apoio às universidades federais e institutos de ciência e tecnologia (Confies), com a intenção de reduzir a burocracia que consome 35% do tempo do cientista em serviços administrativos e facilitar e muito a vida dos seus associados.

Em entrevista ao Jornal da Ciência o presidente do Confies, Fernando Peregrino, disse que as fundações de apoio são responsáveis pela gestão de 15 mil projetos de pesquisa e movimentam mais de R$ 6,2 bilhões ao ano. Além disso, respondem por quase 80% da importação de insumos e de bens para os laboratórios universitários e institutos. Em publicação no site do Confies, Fernando Peregrino, diz que o momento é propício para o investimento na capacidade de produção brasileira, porém é visível que tal burocracia pode no minimo atrasar nossos avanços, já que o Brasil provou ser capaz de produzir bens de alta tecnologia, como navios, aviões, derivados do petróleo até produtos da química fina e da biotecnologia.

A previsão de Peregrino é de que a proposta seja Analisada até julho.

Fontes: Jornal da Ciencia, Confies